Quando se trata da saúde e da má qualidade do ar, as máscaras antipoluição são um símbolo comum.

No entanto, as máscaras são uma solução paliativa e ineficaz para proteger a saúde pública da poluição do ar. As pessoas costumam usar máscaras cirúrgicas (como aquelas usadas pelos médicos) para se protegerem do ar poluído, porém essas máscaras não criam um bloqueio ou selo em torno da boca, fazendo com que o ar contaminado seja respirado pelos lados. As pessoas que usam a máscara mais cara e bem ajustada, a N95 (mais conhecida como “respiradores”), ficam mais protegidas, no entanto essas máscaras tornam a respiração mais difícil e, portanto, podem ser contra-indicadas para pessoas com doenças respiratórias.

Para destacar os riscos gerados pela poluição do ar à saúde das pessoas, a campanha Cidades sem Máscara desenvolveu uma máscara de luz LED especial, que muda de cor de acordo com as medições de poluição do ar livre. Usando um monitor de qualidade de ar AirBeam, juntamente com o software AirCasting, podemos mapear as partículas de poluição MP 2,5, mostrando como está a qualidade do ar em tempo real, à medida em que os dados são transmitidos para nossa máscara de luz.

O que é o MP 2,5?

 

O MP 2,5 (material particulado 2,5) consiste em partículas finas, com menos de 2,5 micrômetros de diâmetro. As partículas (incluindo fuligem) são emitidas durante a queima de combustíveis fósseis sólidos e líquidos, para a geração de energia elétrica, para o aquecimento doméstico e nos motores dos veículos; outras atividades industriais também contribuem para a emissão do MP 2,5. O MP 2,5 não é o único componente prejudicial, já que a maioria das fontes de MP 2,5 também emitem outros poluentes atmosféricos e climáticos. A exposição a essa poluição está ligada a um grande risco de doenças respiratórias e cardiovasculares, tais como asma, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), ataques cardíacos e AVCs.[1]

O que as cores nas máscaras de luz significam?

(0-12 µg/m3)

Verde: Ar de boa qualidade, com pouco ou nenhum risco.

(12.1-35.4 µg/m)

Amarelo: Riscos moderados para grupos de pessoas extremamente sensíveis à poluição do ar.

(35.5-55.4 µg/m3)

Laranja: Insalubre para grupos sensíveis.

(55.5-150 µg/m3)

Vermelho: Insalubre para todos, com grupos sensíveis sendo potencialmente afetados por riscos sérios à saúde.

Para todas as cores além do verde, o Índice da Qualidade do Ar recomenda que crianças ativas, adultos e grupos vulneráveis com doenças respiratórias limitem o esforço prolongado ao ar livre.

A escala é baseada no AQICN.

Usar máscaras, evitar locais problemáticos ou permanecer dentro de casa não são soluções práticas nem sustentáveis para o ar insalubre de nossas cidades.

Principal photography © Global Call for Climate Action / Greg McNevin and ©Daniel Schoenen Fotografie