Sobre a Cidades sem Máscara

Queremos ar limpo em nossas cidades para protegermos nossa saúde e nosso clima.

Assim como as campanhas antitabagistas do final do século 20, médicos começam a dar sinal de alerta sobre a má qualidade do ar e os riscos que isso representa para a nossa saúde nas grandes cidades. A poluição do ar é, atualmente, responsável por mais de 6,5 milhões de mortes prematuras por ano. A exposição de pessoas a níveis nocivos de poluição do ar aumenta os riscos de doenças cardíacas, câncer de pulmão, doenças respiratórias e acidentes vasculares cerebrais. Crianças, idosos e aqueles que já sofrem de alguma doença são especialmente vulneráveis. Mas, ao contrário do tabagismo, as pessoas não podem simplesmente optar por parar de respirar.

O uso de máscaras respiratórias antipoluição, uma realidade em algumas cidades, seria uma resposta inadequada e ineficaz dada a dimensão do desafio. As soluções que conduzem a melhores condições de saúde humana e planetária devem ser bem mais abrangentes e significativas. Ao mesmo tempo que essas soluções dependem das nossas escolhas, também podem ser promovidas pelas nossas comunidades e pelos nossos representantes políticos.

Quem somos

Médicos, enfermeiros, profissionais da saúde pública e profissionais da saúde em geral estão empenhados em melhorar a saúde dos seus pacientes e das suas comunidades. Melhorar a qualidade do ar e reduzir as emissões de gases poluentes e de gases de efeito estufa em nossas cidades salvará milhões de vidas e terá um impacto positivo na saúde de bilhões de pessoas. Também ajudará a combater a mudança do clima, a reduzir a sobrecarga nos serviços de saúde e a criar novas oportunidades econômicas.

A Global Climate and Health Alliance (GCHA) e seus parceiros Health Care Without Harm (Saúde Sem Dano), Health and Environment Alliance, US Climate and Health Alliance e UK Health Alliance for Climate Change estão se unindo a parceiros de saúde locais e suas comunidades para promover soluções práticas e criar mudanças políticas tangíveis para cada cidade, que nos direcionem à clara tendência mundial de diminuição da poluição do ar urbano até 2030.[1] O resultado será: redução de mortes, de doenças e de emissões de gases do efeito estufa.

Ao nos unirmos para defender uma renovação dos sistemas de transporte e de energia em nossas cidades, podemos ajudar na busca por um clima seguro e melhorar a saúde pública, fortalecer nossa economia e melhorar a qualidade de vida, beneficiando todos os cidadãos.

FAÇA PARTE

A poluição do ar externo (outdoor air pollution) é mundialmente responsável por 3 milhões de mortes prematuras por ano. A queima de combustíveis fósseis para gerar energia que abasteça nossos carros, casas e locais de trabalho causa a insalubridade do ar e contribui para o aumento das temperaturas globais. Seja por meio de transportes urbanos sustentáveis e iniciativas de mobilidade ativa e/ou por meio do uso de energias renováveis em alternativa aos combustíveis fósseis, a campanha global Cidades sem Máscara (no Brasil, São Paulo sem Máscara) convoca os tomadores de decisão a adotarem políticas e programas que atendam os padrões de qualidade do ar da Organização Mundial de Saúde.[2]

Todos têm direito ao ar limpo e seguro. Concentrando-nos em melhorar a qualidade do ar em nossas cidades, melhoraremos substancialmente a saúde das nossas comunidades e do nosso planeta.

Gostaria que sua cidade se juntasse a outras cidades do mundo todo?

PARCEIROS

 

 

 

Ennore Anaithu Meenava Grama Kootamaipu

Principal photography © Global Call for Climate Action / Greg McNevin and ©Daniel Schoenen Fotografie